Tels: 31 3354.0198 - 8865.0198
Nossa história
Nossas cervejas
Onde encontrar
Fale conosco
Eventos
Raines na mídia
Cultura cervejeira
Restrito
Página principal
   
   
» Nem tão estupidamente geladas.
Loiras, morenas e ruivas
Nem tão estupidamente geladas

Eduardo Tenenwurcel

Quem pensa que cerveja só é boa para ser apreciada no calor é porque não conhece ainda a grande variedade de tipos que esta bebida oferece além da tradicional Pilsen, a mais apreciada pelos brasileiros.
Com o advento da refrigeração artificial no século XIX, as técnicas de fermentação evoluíram extraordinariamente, permitindo a fabricação de cervejas no verão, que antes somente eram produzidas na Europa entre os meses de setembro e maio. A partir de então, a cerveja passou a ser vista também como uma bebida refrescante, especialmente nos Estados Unidos, apreciada quase que somente por homens, e de lá tomou conta do mundo, especialmente a Pilsen.
Entretanto, para os bons apreciadores, o aroma e paladar são fundamentais, de modo que temperaturas mais altas se fazem necessárias, para se apreciar cada tipo de cerveja. Estes mesmos “cervejeiros” são unâmines: não há sentido em tomá-la “estupidamente gelada”, pois assim perde-se grande parcela de seu sabor característico, além de embotar o paladar e tirar toda a espuma. Mesmo para as Pilsen, a temperatura ideal para se degustar, seguindo os padrões de qualidade alemães e tchecos, deve se situar em torno de 3 a 5 graus.
No inverno, quando a temperatura cai, o clima torna-se especialmente propício para degustar alguns tipos de cervejas mais encorpadas, de aromas mais fortes. Assim como um bom vinho, os complexos sabores dessas cervejas podem ser harmonizados com pratos e ingredientes apropriados de inverno, e é por isso que conquistaram de vez muitos gourmets brasileiros.
Aproveite o inverno para experimentar temperaturas maiores na hora da degustação de sua cerveja predileta.
.
Rua Tenente Paulo Afonso de Souza, nº 364 – Arvoredo - Contagem/MG